jusbrasil.com.br
24 de Agosto de 2019
    Adicione tópicos

    Estado passa a oferecer assistência diferenciada para tratamento de glaucoma

    Governo do Estado do Espirito Santo
    há 11 anos

    As pessoas que sofrem com glaucoma, uma doença que afeta a visão, já contam com assistência diferenciada ofertada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Um trabalho realizado pela Gerência Estadual de Assistência Farmacêutica (Geaf) possibilitou a implantação do Protocolo Clínico para Tratamento do Glaucoma, além da disponibilização de dois medicamentos excepcionais e de um centro para avaliação de pacientes.

    O Protocolo, publicado na última quinta-feira (08), foi criado para orientar as condutas médicas e definir algumas regras importantes para, ao mesmo tempo, preencher o vazio assistencial que havia no Estado em relação ao tratamento de glaucoma e preservar uma boa aplicação dos escassos recursos de acordo com o interesse público.

    Segundo o gerente da Assistência Farmacêutica, Silvio Machado, a padronização de dois remédios para tratamento da doença na relação de medicamentos de alto custo do Estado é algo inédito no Brasil. Os itens incluídos são: Latanoprosta e Dorzolamida. Cada frasco desses colírios custa, respectivamente, R$ 104,66 e R$ 53,77.

    A elaboração do Protocolo envolveu esforços de duas instituições, além da Secretaria de Estado da Saúde: a Sociedade Capixaba de Oftalmologia e o Serviço de Oftalmologia do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam). As entidades levaram seis meses para a construção do documento, com base nas melhores evidências científicas disponíveis e no protocolo do Ministério da Saúde (MS).

    Tratamento

    Todos os pacientes com indicação de uso de qualquer um dos dois colírios deverão se dirigir a uma das farmácias estaduais, já de posse dos exames exigidos pelo Protocolo, para abertura de processo. Depois, serão encaminhados para o Serviço de Oftalmologia do Hucam, onde serão avaliados pelos peritos médicos da instituição e da Sesa, sem nenhum custo.

    Após a avaliação, caso seja confirmada a real necessidade de uso dos remédios, os usuários passarão a recebê-los nas farmácias do Estado, que ficam nos Centros Regionais de Especialidades (CREs) Metropolitano Juliano Almeida do Valle, em Cariacica; de Vila Velha; de Cachoeiro de Itapemirim; de Colatina e de São Mateus.

    Aqueles pacientes que já abriram seus processos com a solicitação desses medicamentos terão preferência ao serem avaliados pelo novo serviço.

    O glaucoma

    O termo glaucoma refere-se a um grupo de doenças que tem em comum o aumento da pressão intraocular e o comprometimento do nervo óptico. Os diversos tipos da doença representam a segunda causa de cegueira no mundo e a terceira no Brasil.

    Dessa forma, o glaucoma causa consideráveis prejuízos aos cidadãos e impacto econômico à sociedade. Contudo, os danos causados podem ser prevenidos por meio do diagnóstico precoce e do acompanhamento e tratamento adequado.

    O tipo mais freqüente é o glaucoma crônico de ângulo aberto, cuja incidência é de 1% a 2% na população. No Espírito Santo isso representa entre 35 mil e 70 mil pessoas com esse problema. Sabe-se que o caráter hereditário dá aos parentes de 1º grau 10 vezes mais chances de desenvolver a doença.

    Informações à Imprensa:

    Assessoria de Comunicação da Sesa

    Jucilene Borges/Fernanda Porcaro/Marcos Bonn/Raquel d’Ávila/Syria Luppi

    Texto: Marcos Bonn

    marcosbonn@saúde.es.gov.br

    Tels.: 3137-2378 / 3137-2307 / 9969-8271 / 9943-2776 / 9983-3246

    asscom@saúde.es.gov.br

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)